Cine Fiesta 2013: «Tres Bodas de Más»

TresBodasDeMas_poster

As dificuldades em encontrar o par ideal, tanto por homens como por mulheres, não é definitivamente um tema novo quando se procura construir uma comédia desenfreada de contornos mais ou menos românticos. Em Tres Bodas de Más, de Javier Ruiz Caldera, é a vez de conhecermos os infortúnios da anti-heroína Ruth (Inma Cuesta), uma bióloga marinha que terá de passar por uma dura prova de resiliência ao ser convidada num curto espaço de tempo para três casamentos de…três ex-namorados. Simultaneamente, o seu centro de investigação acolhe um novo estagiário, Dani (Martino Rivas), um jovem descomplexado com a vida que lhe oferece companhia e apoio moral nestes malditos casamentos e que, aos poucos, terá uma influência tremendamente positiva na vida de Ruth.

É precisamente a partir destes matrimónios que o filme se estrutura em três partes fundamentais, cada uma delas proporcionando ambientes distintos e dando lugar a diferentes patamares do estado emocional e anímico da personagem central. E os contrastes são bem acentuados: se no primeiro temos um surfista boémio cuja festa tem lugar na praia, que é também o palco do início de um novo romance, neste caso com o reservado cirurgião Jonas (Quim Gutierrez), o segundo passa-se numa aldeia pitoresca do interior de Espanha, considerando que o seu ex entretanto mudou de sexo e está agora no papel de noiva. O terceiro, onde se vai casar o seu ex mais recente, está reservado para a catarse de Ruth.

Nesta sucessão de “copos de água”, o filme mostra sempre demasiada sede em chegar rapidamente ao próprio gag, e nisso acerta muito bem, falhando no entanto ao não aprofundar o lado humano tanto da parada de personagens secundárias estereotipadas e pouco complexas que vão “circulando” como dos elementos centrais da história. Tudo isto constantemente amplificado por uma realização dinâmica e acelerada, com cores vibrantes e canções orelhudas (das quais se destaca o uso particularmente relevante da balada “Carrie”, dos Europe) que ajudam a tornar extremamente atractivo (mas não propriamente belo) cada fotograma.

O principal problema é a falta de originalidade na construção do tema e do enredo, dado que este tipo de abordagem e de situações já foi explorado, e até um pouco melhor, vezes sem conta nos últimos anos (basta pensar em A Melhor Despedida de Solteira ou A Ressaca para percebê-lo). Tres Bodas de Más é incapaz de se libertar dos clichés e fórmulas que tornam fácil atingir em cheio o espectador sedento de entretenimento mas, ao mesmo tempo, é muito bem sucedido naquilo a que se propõe: arrancar fortes, abundantes e genuínas gargalhadas.

Classificação (0-10): 7

3 Bodas de Más | 2013 | 94 mins | Realização: Javier Ruiz Caldera | Argumento: Pablo Alén e Breixo Corral | Elenco principal: Inma Cuesta, Martiño Rivas, Quim Gutiérrez e María Botto

Advertisements

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s