Fantasporto 2014: «Big Bad Wolves»

big_bad_wolves_ver5_xlg

Não é possível falar de Big Bad Wolves, escrito e realizado por Aharon Keshales e Navot Papushado, sem referir o nome de Quentin Tarantino. Por um lado, porque se torna claro o poder da opinião do realizador norte-americano quando pelo simples facto de se tratar do seu filme favorito no ano de 2013 a curiosidade acerca desta produção israelita dispara. Por outro lado, bem mais interessante em termos cinematográficos, porque está latente a influência de Tarantino em quase todos os aspectos deste projecto, sem nunca parecer uma cópia.

Em tom de fábula infantil, o mote de Big Bad Wolves apresenta-se na sequência inicial, na qual surgem crianças a brincar às escondidas, até que uma delas desaparece mesmo, aparecendo depois morta, visivelmente abusada e decapitada. Qual lobo mau, um professor da escola local é identificado como principal suspeito, sendo detido para “interrogatório”. Sem provas que o incriminem é libertado, só que este é um lobo pretendido por vários caçadores sedentos de fazer justiça pelas próprias mãos. Será Gidi (interpretado por Tzahi Grad), pai da vítima e ex-polícia, que vai testar o suspeito ao limite para o levar a confessar o crime e revelar o local onde escondeu a cabeça da criança.

bigbadwolves destaque

Desde a magnífica construção de personagens e de diálogo, recheado de humor mordaz e inteligente, à realização descomprometida, marcada pela liberdade de movimentos de câmara, por zooms lentos que fazem a analogia com o ritmo a que se descortina a narrativa e por um enorme sentido geométrico nos enquadramentos, o trabalho de Keshales e Papushado é digno de um diploma na universidade de Tarantino. A tensão funde-se com a diversão e a banda sonora serve ambos os registos de forma discreta mas eficaz: não faltam momentos em que os mais sensíveis terão a tentação de tapar os olhos, mas o humor das inúmeras interrupções do processo de tortura do suspeito, por exemplo, colocam de imediato um sorriso no espectador (a cena em que Gidi confecciona um bolo ao som de “Everyday”, de Buddy Holly, é particularmente deliciosa).

Será este o verdadeiro lobo mau? Para o descobrir é necessário devorar o filme até ao último fotograma e a boa notícia é que esse tempo será muito bem empregue.

Classificação (0-10): 9

Big Bad Wolves | 2013 | 110 mins | Realização e argumento: Aharon Keshales e Navot Papushado | Elenco principal: Lior Ashkenazi, Rotem Keinan e Tzahi Grad

Advertisements

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s