«Éden»

EDEN - CARTAZ_media

Juventude eterna, quem nunca sonhou com ela? Consciente ou inconscientemente, é nesse preâmbulo da vida que parece querer permanecer o protagonista de Éden, realizado por Mia Hansen-Love. Falamos de Paul Vallee (Felix de Givry), personagem estruturante de um filme com a ambição de representar a eclosão na década de 1990 de um estilo musical e um modo de vida que marcaram uma geração, mais especificamente o Garage (com raízes no clube nova-iorquino Paradise Garage, onde pontificava o DJ Larry Levan), que tal como o House e o Techno é uma variante do movimento maior denominado French Touch.

Convém lembrar que o movimento da música electrónica está relativamente inexplorado no cinema (24 Hour Party People, de Michael Winterbottom, aborda-o porém noutro tempo e espaço) e esse carácter quase inaugural também acrescenta valor ao filme. A inspiração partiu da experiência pessoal de Sven Hansen-Love, irmão de Mia com quem repartiu a escrita do argumento e a concepção do projecto, que teve um percurso como DJ em França nos anos 1990. Com este pressuposto, torna-se difícil deslindar o biográfico do ficcional, desde logo graças a uma direcção artística quase obsessiva que abrange cerca de duas décadas e demonstra uma faceta documental vincada.

As cenas nas discotecas transpiram autenticidade, desde o momento em que esta sub-cultura emerge com raves organizadas ao estilo do it yourself em caves, armazéns ou, como na primeira cena, num submarino abandonado, enquanto os movimentos de câmara denunciam a proximidade com o objecto do filme, através de planos que se misturam com a multidão dançante, sempre acompanhados de uma banda sonora cuidadosamente seleccionada para cada cena, para cada momento.

A incorporação da música e da figura dos Daft Punk, compostos por Thomas e Guy-Man (Vincent Lacoste e Arnaud Azoulay) acrescenta um toque de humor ao filme, à medida que são recorrentemente barrados à porta das discotecas por seguranças que ignoram a sua identidade, mas é igualmente importante por fornecer um referencial facilmente identificável para compreender o alcance do fenómeno musical em questão mesmo com pouco conhecimento de causa.

eden

O enredo constrói-se em redor do encantamento de Paul por todo este universo, rapidamente se tornando-se parte dele ao fundar com um amigo a dupla de DJ’s “Cheers”, entrando assim neste delirante e metafórico Jardim do Éden (que é também o nome dado a uma das primeiras fanzines da cena que estava a nascer). À imagem dos seus trabalhos anteriores, Hansen-Love volta a dividir a obra em duas partes, sendo a primeira (Paradise Garage) dedicada aos meandros deste idílico estado de graça pós-adolescente onde a vida se faz de música, luzes, dança, socialização e drogas, mas que o passar do tempo vai progressivamente transformando em beco sem saída.

Paul permanece voluntariamente preso neste paradigma, cristalizado num sonho e numa ilusão que lhe consomem quase toda a energia e dinheiro, mesmo confrontado com o “progresso” das vidas de todos os que o rodeiam. Assim é com as várias namoradas, com quem parece incapaz de manter um relacionamento aprofundado (destaca-se a mais duradoura Louise, encarnada por Pauline Etienne, e Julia, a americana interpretada por Greta Gerwig), e até com o seu parceiro dos “Cheers”.

A segunda parte (Lost in Music), algo extensa, serve para vincar o desencanto de Paul com o rumo que tomou, todavia sem embarcar na melancolia nem no moralismo, mas também o desencanto face as transformações nas tendências da música electrónica e na própria concepção da actividade de DJ, cada vez mais confundida com a simples tarefa de elencar canções num computador portátil.

Apaixonada e inteligente homenagem não apenas a uma sub-cultura musical mas igualmente a um certo sentimento geracional da década de 1990, Éden é claramente a melhor e mais ambiciosa obra de Hansen-Love até à data.

Classificação (0-10): 7

Éden | 2014 | 131 mins | Realização: Mia Hansen-Love | Argumento: Mia Hansen-Love e Sven Hansen-Love | Elenco principal: Félix de Givry, Pauline Etienne e Vincent Macaigne

Anúncios

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s