Ciclo Alexander Kluge e conversa com o realizador em sessão especial

Alexander Kluge

Tem lugar de 9 a 16 de Dezembro o ciclo Alexander Kluge – Cineasta da Alemanha, Cronista da História, apresentado pelo Goethe-­Institut Portugal em coprodução com a Culturgest, comissariado por Augusto M. Seabra que apresenta exemplarmente a obra do cineasta germânico:

“Alexander Kluge (nascido em 1932) é um dos mais importantes cineastas contemporâneos, e não só: indissociavelmente, na sua prolífera e proteiforme atividade, Kluge é um reconhecido ficcionista – de resto galardoado com os mais importantes prémios literários alemães –, um ensaísta e teórico fundamental, uma figura ímpar de intelectual público, sobretudo na constante reflexão sobre a História e o presente e, antes do mais, da própria História da Alemanha. Com formação em direito, Kluge travou conhecimento com Theodor Adorno, que o apresentou a Fritz Lang, na altura do regresso deste à Alemanha, para realizar O Túmulo Índio. O contacto com Adorno, a influência de Walter Benjamin e depois o diálogo ensaístico com Jürgen Habermas em torno do conceito de “esfera pública”, inscrevem Kluge na Teoria Crítica da Escola de Frankfurt, podendo em paralelo dizer­se que o seu é um “cinema crítico”, de pendor crescentemente ensaístico, com uma particular teoria e prática da montagem, do fragmento, da colagem e do intervalo, que viria a ser paradigmaticamente afirmada em A Força dos Sentimentos, filme que combina 26 narrativas ou capítulos. O título desse filme é uma alusão a A Força do Destino de Verdi, o género da ópera surgindo como modelo de uma estruturação compósita do cinema de Kluge, em que é fulcral uma noção de “sentimentos”, entendida também como possibilidade de construção de uma subjetividade ativa do espectador, em diálogo crítico com o pendor ensaístico da narrativa. Nos últimos anos Kluge vem­se dedicando a uma prática singular de trabalho audiovisual, em que se destaca o monumental Notícias da Antiguidade Ideológica: Marx, Eisenstein, ‘O Capital’, que nos é particularmente grato apresentar.” – Augusto M. Seabra

Além da retrospectiva haverá ainda uma sessão especial na Cinemateca, às 18h de quarta, 16 de Dezembro. Neste evento serão apresentados filmes e textos relacionados com Portugal, seleccionados pelo realizador, que estará disponível por Skype para conversar com o público ao longo da sessão. Entre os filmes constam duas curtas sobre a ópera L’Africaine de Giacomo Meyerbeer, que o autor originalmente queria chamar “Vasco da Gama” e que foi exibida pela primeira vez sob este título e na sua versão original em Chemnitz em 2013. Será ainda exibida a curta documental 1000 Jahre Portugal, que apresenta uma conversa com o Professor universitário Walther L. Bernecker sobre a história portuguesa, partindo da situação actual do país.

Haverá ainda espaço para apresentar o escritor Alexander Kluge com a leitura de quatro excertos de livros de Kluge, todos inéditos em Portugal. Os textos são contos curtos relacionados com a situação histórica e política de Portugal. Também no domingo, 13 de Dezembro, após a sessão que exibe o filme Vermischte Nachrichten (Informações Diversas), às 18h, na Culturgest, terá lugar uma conversa com o realizador por Skype, marcada por volta das 19h45.

Toda a informação nas páginas do do Goethe­-Institut e da Culturgest.

Anúncios

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s