Queer Lisboa 23: Palmarés

 

A sessão de encerramento do Festival de Cinema Queer Lisboa 23, teve lugar no dia 28 de setembro no Cinema São Jorge, onde foram anunciados os prémios da Competição de Longas-Metragens, Competição de Documentários, Competição de Curtas-Metragens, Competição In My Shorts, Competição Queer Art, bem como as escolhas do público.

Palmarés

Competição de Longas-Metragens

Melhor Filme: Sócrates, de Alexandre Moratto (Brasil, 2018)

 “Sócrates é um filme muito forte tanto pelo seu conteúdo como pela sua forma. Fala-nos de um adolescente dos subúrbios de Santos, no estado de São Paulo. Interpretado pelo actor Christian Malheiros que nos deixa magneticamente colados ao ecran, interpretando um personagem que luta contra um mundo que quer fazê-lo desaparecer. Esperamos que este filme encontre distribuidor em Portugal para que mais pessoas o possam ver.” – Júri

Menção Especial: Greta, de Armando Praça (Brasil, 2019)

Prémio do Público: Carmen y Lola, de Arantxa Echevarría (Espanha, 2018)

Competição de Documentários

Melhor Filme: Una Banda de Chicas, de Marilina Giménez (Argentina, 2018)

“Damos este prémio a um filme que, partindo da amizade, constrói um retrato de uma comunidade reflectindo sobre si própria, em trinta anos de lutas e conquistas. Uma visão complexa e íntima da força transformadora que é usar a própria voz e fazermo-nos ouvir.”- Júri

Menção Especial: Ni d’Ève, ni d’Adam. Une Histoire Intersexe, de Floriane Devigne (França, Suíça, 2018)

Prémio do Público: Ni d’Ève, ni d’Adam. Une Histoire Intersexe, de Floriane Devigne (França, Suíça, 2018)

Competição de Curtas-Metragens

Melhor Filme : Parsi, de Eduardo Williams e Mariano Blatt (Argentina, Suíça, 2018)

 “Decidimos atribuir o prémio a um filme onde o gesto cinematográfico radical, poético e violento, num transe futurista, retrata o aqui e o agora, com grande mestria. O prémio vai para Parsi.” – Júri

Menção Especial: Ant-Man, de Viet Vu (Vietname, 2018)

Prémio do Público: Estamos Todos Aqui, de Chico Santos e Rafael Mellim (Brasil, 2018)

Competição In My Shorts

Melhor Filme (ex aequo): Constanza, de Melisa Liebenthal (França, Argentina, 2018) e Dante vs Mohammed Ali de Marc Wagenaar (Holanda, Bélgica, 2018)

“Através da delicadeza dos gestos quotidianos e quebrando os preconceitos de quem vê, descobrimos o retrato de uma pessoa que já se encontrou, a Constanza” – Júri sobre Constanza

“Com uma realização madura e constantemente surpreendente revela-se uma pessoa com toda a sua força que assume quem ele é. A poesia vence a brutalidade.” – Júri sobre Dante vs Mohammed Ali

Competição Queer Art

Melhor Filme: Normal, de Adele Tulli (Itália, Suécia 2019)

 “O padrão que se repete. Uma violência silenciada que sugere a abertura para outros entendimentos. Um ensaio ou uma coleccao de situações em que a passividade perante a imposição nos fazem questionar o normal.” – Júri

Queer Lisboa 23 encerra a sua 23ª edição com um acréscimo de espectadores em relação à sua edição anterior, tendo sido exibidos 101 filmes de 36 países diferentes e já de olhos postos no futuro as datas do Queer Lisboa 24 já foram comunicadas: de 18 a 26 de setembro de 2020.

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s