KINO 2018: Mostra de Cinema de Expressão Alemã

A décima quinta edição da KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã regressa entre 18 de janeiro e 16 de fevereiro a  Lisboa, Coimbra e Porto, para apresentar as mais recentes produções cinematográficas neste âmbito, num total de 14 longas-metragens, 8 documentários e 1 sessão especial para famílias.

A KINO 2018 abre com o filme Wild Mouse de Josef Hader que tem a sua estreia como realizador. O filme, no qual volta a interpretar o papel principal, conta a história de um famoso crítico de música que ao ver-se desempregado devido a cortes orçamentais, decide vingar-se do seu antigo editor e acaba por perder o controlo da situação.

A sessão de encerramento em Lisboa tem lugar no dia 24 de janeiro, com a antestreia de A Ordem Divina, de Petra Biondina Volpe. Apresentado pela Embaixada da Suíça e em colaboração com a Films4You, o filme conta a história da luta pelo direito ao voto feminino na Suíça dos anos 70. Através da perspetiva de uma dona de casa numa vila remota do país, o espectador é convidado a olhar para este movimento histórico quando um pouco por todo o mundo continua a ser essencial pensar, debater e agir sobre as questões de igualdade de género.

Dentro do foco Novas Perspetivas há outros exemplos de primeiros trabalhos que merecem atenção, como Herbert, de Thomas Stuber, a história dramática de um pugilista profissional que se vê confrontado com uma doença incurável do sistema nervoso motor, ou Dezassete, uma visão simultaneamente suave e selvagem da adolescência pela jovem realizadora austríaca Monja Art. Este foco inclui também os filmes Casa sem Teto, da realizadora de origem iraquiana Soleen Yusef, e Irmão Jakob, que acompanha a conversão ao Islão do irmão do realizador Elí Roland.

A secção KINOdoc é uma das apostas desta 15.ª edição da KINO, com um maior número de documentários a serem exibidos nas três cidades que acolhem a mostra. Em Lisboa, destacamos Minha Maravilhosa Berlim Ocidental, de Jochen Hick. Socorrendo-se de material de arquivo até hoje inédito e por vezes provocador, Hick investiga no seu documentário a evolução histórica da cena gay, entre restrições e perseguições, bares bem animados e movimentos de emancipação pioneiros. Com recurso a muitas testemunhas que viveram na época em questão, o filme apresenta um retrato vivo da metrópole a caminho de se tornar a capital LGBT da Europa. E ainda dois filmes dedicados à cena musical alemã: Se penso na Alemanha à noite, de Romuald Karmakar, e B-Movie – Lust & Sound in West-Berlin, de Jörg A. Hoppe, Klaus Maeck e Heiko Lange.

No Porto e em Coimbra destacamos o documentário Beuys dAndres Veiel, que estreia nas salas portuguesas a 8 de fevereiro.

A partir de dia 25 de janeiro a KINO viaja até ao Porto, onde estará até ao dia 28 de janeiro, nas salas do Teatro Rivoli e do Cinema Passos Manuel. De 14 a 16 de fevereiro será o Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra, a acolher a Mostra de Cinema de Expressão Alemã.

Programação completa no site oficial.

Anúncios

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s